Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.

Estremoz é um mundo dentro de outro mundo: a região do Alto Alentejo.

Pateo dos Solares

Se tem carro e alguns dias, há muito a fazer na região. Se só tiver algumas horas, não deixe de fazer alguns quilómetros nas planícies verdejantes da Primavera (ou douradas do Outono), nas quais dificilmente se cruzará com outro automóvel. Basta olhar esta paisagem a perder de vista para sentir a verdadeira essência do Alentejo: uma região que convida à contemplação: estimula a introspecção e liberta a imaginação. Falamos duma região plana, quente, em que o horizonte é interminável e as gentes afáveis. Uma região que já foi apelidada de “nova Toscânia” – pela revista Conde Nast Traveller – e que se encontra verdadeiramente preservada, tanto em termos paisagísticos como arquitectónicos. Para um passeio na História, recomendamos vivamente as vilas da região. Andar de bicicleta, a cavalo, praticar desportos aquáticos na barragem do Alqueva, fazer workshops de artes locais, são exemplos de outras actividades das quais poderá desfrutar facilmente.

Imperdíveis são também as quintas e produtores de vinho. Sinta a região através de um copo de vinho saboreado em lugares recheados de trabalho e história. Criar um vinho é uma arte. O vinho é o reflexo de um trabalho de pormenor. O saber, a experiência e a tecnologia permite aperfeiçoar com rigor os diversos fatores que influenciam a personalidade de um vinho.  Fazer brilhar todo o potencial natural dos vinhos da região de Estremoz, demarcados com o selo de qualidade dos vinhos alentejanos,  é a paixão de várias quintas vitivinícolas que se situam a escassos quilómetros de Estremoz. Desde a Adega de João Portugal Ramos, aos vinhos de recorte irreverente de Tiago Cabaço, à proeminente Adega de Borba, passando pela Herdade das Servas e pela renovada Adega da Quinta do Carmo (do grupo Bacalhôa) ou pelo enoturismo de elite do “château” da Quinta de Dona Maria.

Eis alguns dos nossos programas preferidos, dentro e fora de Estremoz...

Pateo dos Solares

Estremoz

Para além dos programas apresentados pelo Pateo dos Solares Charm Hotel, Estremoz é sobretudo uma cidade para percorrer a pé, gozando a vista do castelo sobre a planície e sobre as suas ruas íngremes e estreitas, ladeadas por pequenas casas. Estremoz, tal como todo o Alentejo, é para ser fotografada sob todos os ângulos e a todas as horas, porque, realmente, a harmonia da pedra, do branco das casas e dos tons da planície é total. Não perca a gastronomia da região. Estremoz, situado no Alentejo central e a 30 minutos de Évora, é caracterizado por uma gastronomia tipíca da sabedoria do povo. Aqui predominam as sopas de pão condimentadas com as ervas aromáticas, as carnes de porco, borrego e as aves de caça, o queijo de leite de ovelha, os enchidos e a doçaria conventual feita à base de gemas de ovo, amêndoas e gila. Esta região é um deleite para os sentidos! Assim deixamos o convite para “provar a região” nos melhores locais. Deleite-se com os petiscos do Gadanha (que além de restaurante é ainda uma mercearia), da Adega do Isaías, do Restaurante São Rosas (que deve o nome à célebre lenda do milagre das rosas e da Rainha Santa Isabel), da Cadeia Quinhentista (que nasceu das ruínas da antiga cadeia da comarca de Estremoz), Restaurante Alecrim ou para uma prova de vinhos, a Herdade das Servas com uma óptima gastronomia alentejana.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Alandroal

Outra vila encimada por um castelo medieval preservado e de grande interesse. Aproveite para almoçar no restaurante Maria. Recriando um páteo e muito arejado para os dias de maior calor, este é um restaurante tipicamente alentejano, famoso sobretudo pelos seus pratos de carne e sobremesas variadas.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Arraiolos

Outra vila dominada por um castelo medieval. Particularmente conhecidos nesta terra, são os seus afamados vinhos e os belíssimos tapetes de Arraiolos, feitos à mão há centenas de anos, que podem ser encomendados à medida ou mediante um padrão previamente escolhido. Visite o Centro Interpretativo dos Tapetes de Arraiolos, que funciona como um museu desta peça fundamental do artesanato português. Para crianças, e não só, não deixe de visitar a Aldeia da Terra, um jardim de esculturas, de grande interesse cultural, que todos os anos aumenta. Um museu de mini-peças de terracota representando casas, pessoas, ofícios, árvores e outros, feitas por oleiros locais, num espaço a céu aberto. Os visitantes são convidados a interagir com os oleiros e a fazer pequenas peças de barro para levar para casa.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Alqueva

A 30 km de Monsaraz, não deixe de visitar esta zona e a sua barragem. Não só porque é impressionante sob o ponto de vista de engenharia, como porque é de uma beleza inigualável. Construída há relativamente poucos anos, para além de abastecer de água as populações locais, é local de turismo e desportos aquáticos. Os pôr-de-sol são sublimes e lembram África. Desfrute-os da esplanada de um restaurante bebendo um vinho branco fresco! De referir ainda o museu dedicado à história da barragem, que submergiu uma aldeia inteira (aldeia da Luz), e que foi considerado um dos melhores museus do país. Apresenta igualmente colecções de etnografia e arqueologia.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Badajoz

Badajoz é uma cidade espanhola colada à fronteira portuguesa. Fundada no séc. VIII pelos Muçulmanos, Badajoz foi construída à beira do rio Guadiana (que vai desaguar no Algarve). O Casco Antigo, ou bairro histórico, é palco de vários monumentos de grande interesse cultural como sejam a catedral, a alcáçova, as muralhas e o Real Mosteiro de Santa Ana que data do séc. XVI. Como em toda a Espanha, as “plazas” de Badajoz formam uma espécie de centros que congregam diariamente os seus habitantes para tomar “una copa” ao fim do dia, quando o calor menos aperta.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Borba

Passeie pelas ruas, parando nas suas impressionantes igrejas, capelas e casas senhoriais de arquitectura genuinamente portuguesa. Um dos aspectos mais engraçados desta terra é a quantidade de antiquários e lojas de velharias que alberga. O local certo para comprar algo genuinamente português para ter em casa. Feiras dedicadas ao vinho da região são uma constante.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Elvas

Esta cidade, integrada na mais total planura alentejana, é o local ideal para os que amam o desporto equestre (no Centro Hípico de São Brás e no Elxadai Parque). Cidade murada, atravessada pelo impressionante aqueduto da Amoreira (século XVI), e elegantes praças cheias de pequenos cafés, não deixe de visitar o extraordinário Forte de Santa Luzia e a sua bonita catedral de desenho gótico. Elvas é também famosa pela sua gastronomia. Aproveite os seguintes restaurantes: “Taberna do Adro”, “Pompílio” ou “Adega Regional”. A cidade de Elvas e as suas fortificações foram classificadas como património mundial da UNESCO em 2012.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Évora

É seguramente um dos maiores tesouros de Portugal. Uma cidade totalmente preservada, de uma austeridade precocemente modernista, longo passado histórico e parte do Património da Humanidade desde 1985 (honra atribuída pela Unesco). Tudo começa e acaba na Praça do Giraldo, centro por excelência desta cidade e ladeado por arcos sob os quais se abrigam lojas de artesanato. É de lá que se pode partir à descoberta deste museu a céu aberto, das suas ruas empedradas, austeras casas senhoriais e monumentos como o Templo de Diana (vestígios romanos), a espantosa Capela dos Ossos e o maravilhoso Museu de Évora, espaço privilegiado para os que se interessam por arte sacra portuguesa.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Marvão

Desde o tempo dos romanos que os rochedos da vila de Marvão são cenário de refúgio ou ponto estratégico militar. Com vista privilegiada sobre a paisagem alentejana e Espanha, entende-se porque foi um local ideal de defesa de território. Hoje em dia encontra-se muito bem preservada, como todo o Alentejo, aliás. Desconhecida dos turistas em geral, tem vindo a ser descoberta nos últimos anos, a ponto do New York Times a ter incluído no livro “1000 places to see before you die”. Desde Julho de 2014 que é palco de um festival de música clássica internacional dirigido pelo maestro alemão Christoph Poppen.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Monsaraz

Uma das mais belas e preservadas vilas de Portugal, desfruta de uma vista inesquecível sobre o rio Guadiana e a planície alentejana. Local privilegiado de defesa noutros tempos, é hoje em dia uma vila de ruas de xisto e casas caiadas, cheia de recantos e esquinas onde o tempo parece ter parado. Daqui dê um salto ao Alqueva.

  voltar ao topo

Pateo dos Solares

Vila Viçosa

Uma vila próxima de Estremoz que alberga o imponente Palácio Ducal dos Duques de Bragança (a antiga família real portuguesa), que começou a ser construído em 1510. Vale a pena visitá-lo e ao santuário de Nossa Senhora da Conceição, uma belíssima igreja dedicada à Rainha de Portugal (a estátua de Nossa Senhora foi coroada pelo Rei Dom João IV em prova de agradecimento pela nossa libertação dos Espanhóis em 1640). Este santuário encontra-se dentro das muralhas de castelo medieval, outra das atracções de Vila Viçosa, que para além da sua longa história (começou a ser construído no reinado D. Dinis, séc XIII), inclui ainda um interessante Museu da Caça e Arqueologia.

  voltar ao topo